Instituto Latino Americano de Sepse – Sepse em Foco - Nº 19 - Julho- 2019
 

ILAS promove a 2ª Reunião dos Países da América Latina

No dia 08 de maio, o ILAS – Instituto Latino Americano de Sepse organizou a 2ª Reunião de Países da América Latina (LATAM), com o apoio da Global Sepsis Alliance (GSA) e da Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS). O principal objetivo do encontro foi discutir os problemas comuns e possíveis avanços em relação à sepse nesses países, tendo como base a resolução da OMS – Organização Mundial da Saúde, assinada na 70ª Assembleia Mundial de Saúde, realizada em maio de 2017.

A Resolução demanda que a OMS desenvolva diretrizes para a prevenção e manejo da sepse, elabore um relatório sobre a epidemiologia e carga da sepse e que apoie os países de forma a viabilizar infraestrutura necessária, capacidade laboratorial, estratégias e ferramentas para tratar adequadamente a sepse.
Durante o encontro, foi discutida a relevância da formação de alianças entre os participantes, os avanços em relação ao último encontro, explorando potenciais áreas de colaboração entre os países, o ILAS, a GSA e a OPAS como o objetivo comum de reduzir a carga de sepse nos países da América Latina.
Dr. Simon Finfer, da Austrália, falou sobre a importância de se promover políticas públicas e alianças regionais para o tratamento da sepse, uma vez que os desafios enfrentados são semelhantes entre os países da América Latina. “Por meio dessas alianças, os países podem trabalhar juntos na busca por soluções comuns conseguindo apoio mais forte do que países que trabalham individualmente”, disse.
Cada participante falou também sobre os desafios internos no reconhecimento e tratamento da sepse e alguns avanços ocorridos no último ano, tais como discussão com ministério e sociedades médicas de seus respectivos países.
Dra. Flávia Machado, do Brasil, comentou sobre os avanços no país, tais como a discussão com o governo para a inclusão da sepse como uma das metas de segurança do paciente.  Representantes da pediatria falaram sobre os desafios da área, e como a sepse é pouco debatida no meio. Para saber mais sobre o encontro, confira aqui a íntegra da ATA.

  Voltar